O Pintor

DeDenker

Foto (detail): Wikipedia / Stefan Kühn

Minhas pinturas são processos de pensamento…

Este artigo foi temporariamente traduzido por Google translate
Em seu livro Kans op Kunst (Uma oportunidade para a Arte), Lambert Tegenbosch, o ex-crítico do diário holandês De Volkskrant, escreveu: ‘A pintura não está acabado quando ele é exibido ao público’ (Tegenbosch, 1969). O escopo desta tese é como um pensamento que surgem após a alta pronunciado como uma palavra e, portanto, cristaliza e se mostra para o mundo. Na pintura a tinta secar as palavras na tela até bem depois de serem mostrados ao público.

Em ‘Les Demoiselles d’Avignon de Picasso e Nu descendant un escalier de Duchamp, foi a figura humana no sentido visual quase abstrata em um conceito iconoclasta. Abstraindo alguns dos elementos figurativos na naturezas-mortas de Giorgio Morandi voorwerpallegorieën como, sugeri: que as coisas não estavam dispostos a enfrentar o tempo limite.

“Minhas pinturas estão pensando,” Walther assinaram o Bruijn mercurial jovens da minha boca durante uma entrevista em 1970. Pintura pintura com as palavras ‘2, 6 e Terrien sopa, mais tarde viria em palavras faladas e escritas na obra de psíquico e médias empresas, Martien DOIS.

Sobre ‘O idioma na Arte e a sua imagem’, veja também: Historiador de Arte Lambert Tegenbosch no diário ‘de Volkskrant’ / Amsterdã: ‘Martien Verstraaten, uma promessa excepcional …’

 

Exposições

Galeria São-Idesbald
Colagens
Koksijde / Bélgica, 1966

Galeria A Romerhuis – Pinturas, exposição individual
Venlo / Países Baixos, 1968

Museu Municipal de Roermond – exposição individual
Roermond / Países Baixos, 1970

Centro Cultural, Município de Venlo
Arte na Província de Limburgo, retrospectiva
Venlo / Países Baixos, 1971

Centro Cultural, Município de Venlo
Prêmio Real das Artes Plásticas, exposição em grupo
Venlo / Países Baixos, 1972

Galeria Dejong- Bergers
A Beleza da Decadência, exposição individual
Maastricht / Países Baixos, 1973

Galeria-T Haarlem
Obras en Consignação
Haarlem / Países Baixos, 1973

Fundação de Arte Holandesa – NKS / ICN
Exposição recorrendo nos Países Baixos
Amsterdã / Países Baixos, 1974

Centro Cultural Achnietenhof
Duas vezes de Outra Maneira, Martien Verstraaten & Harry Boom
Tiel / Países Baixos, 1977

 

Obras estão em posse de:

Coleção de Océ Nederland B.V. (antes Océ-van der Grinten N.V.), Países Baixos

Coleção privada de W. K. Coumans, Países Baixos

Departamento Nacional de Distribuição dos Objetos de Arte, Países Baixos

Município de Roermond, Países Baixos

Município da Haia, Países Baixos

Município de Buren-Beusichem, Países Baixos

Coleção privada de J. Hartman, Groningen, Países Baixos

 

Veja também: Imprensa – Artigos sobre pintor e pinturas