Ayrton Senna: Minha vida passada como monge tibetano


Martien Verstraaten
As Borboletas não podem Tamarar e as Tâmaras não podem Borboletear

Genética de uma carreira interna e externa
ISBN 978-90- 812636-6-3 / NUR 762

     

1a palestra – As quarenta e quatro cores amarelas de Rafael Sanzio. 2a palestra – Friedrich Nietzsche encontra Arquimedes de Siracusa. 3a palestra – Deuses, anjos da guarda e espíritus brasileiros. 4a palestra – Ayrton Senna: Minha vida passada como monge tibetano

 

A tâmara tamara, a borboleta borboleteia.
As borboletas não podem tamarar,
e as tâmaras não podem borboletear.

A destinação, o plano e a potência
da tâmara, da borboleta ou do ser humano
estão na essência deles mesmos.

O desenvolvimento e a capacidade
de produção da essência de cada um
depende do grau de congruência
com seu caminho e o seu habitat.

Martien Verstraaten, 1995

_________________________________

 

A entidade de Ayrton Senna:
“Eu amo a velocidade, o elemento velocidade na vida e também de controlar a velocidade e estruturá-la. Velocidade para mim é o símbolo de toda a vida que se move, da evolução que cria um futuro em torno de si, o Grande Movimento.”

Martien Verstraaten:
Os núcleos para uma carreira interior e exterior estão localizados nos momentos decisivos das vidas passadas. As sementes para a carreira de Ayrton Senna como piloto brasileiro de Fórmula 1, germinaram durante sua vida passada como um monge tibetano. Em diálogo com montanhas azuis em Tibete, ele descobrira o que faria em sua próxima encarnação.

_________________________________

 

Entrevista | Correio da Bahia | Salvador BA, Brasil
No carro com Ayrton Senna. A  paranormalidade do Sr Verstraaten o permitiu acompanhar o piloto brasileiro, morto em um acidente no circuito de Ímola, Itália, em 1994, até seu carro.

“A atmosfera, a energia que percebi dentro do carro dele, era a mesma energia do interior de uma igreja. Senna dirigia um templo móvel. O carro era uma metáfora e Ayrton, um relações públicas do poder espiritual dos deuses”, compara. “Os gurus de hoje não usam batinas e nemnem se isolam nas montanhas”. Martien está convencido de que Senna foi um deles. “O universo é muito inteligente”, comenta com seu peculiar bom humor.
Cássia M. Candra, Jornalista no Correio da Bahia, Brasil

Brochura | Inteligência Intuitiva | Curaçau, Antilhas Holandesas
“Martien tem grandes poderes paranormais, como conselheiro de políticos e curador espiritual. Durante muitos anos Martien e eu trabalhamos juntos na área de consultas paranormais, cursos de Inteligência Intuitiva & Gerência Transformacional e de regressão e terapia de vidas passadas. Para mim é uma honra recomendá-lo.
Angel R. Salsbach, mestre de Reiki e ex-Vice Governador da Ilha de Curaçau, Antilhas Holandesas

Brochura | Gerência Transformacional | Casa de Comércio, Salvador da Bahia, Brasil
“É interessante observar o trabalho de um vidente. Martien tem a ousadia de enxergar além daquilo que é permitido pelo nosso código. Seria um treino interessante para todos os terapeutas”.
Prof. Eunice Tabacof, coordenadora “Seminários Interdisciplinares em Psicanálise” Brasil

_________________________________


O destino de cada pessoa começa com a carreira interior. Quais genes espirituais são, metaforicamente falando, responsáveis por carreiras tais como: uma dócil e submissa cozinheira, porém eloquente; um diretor-médico, um paraolímpico de cadeira de rodas, um celibatário promíscuo, um filósofo, um dono de boate, um corredor de Fórmula-1 ou uma vendedora de cachorro-quentes no shopping? Os destinos de John F. Kennedy, Michael Jackson, Ayrton Senna ou do Nelson Mandela foram também atribuídos aos genes de uma carreira espiritual interior?

O livro Borboletas não podem Tamarar e as Tâmaras não podem Borboletear é uma exploração de como e o porquê do nosso destino. Em quatro palestras sobre a magia da estrutura da carreira e o objetivo ao qual se submete, o autor leva o leitor em sua viagem. Na quarta palestra ‘Ayrton Senna: Minha vida passada como monge tibetano’ mostra uma vida de um simples monge como uma base possível para uma carreira como campeão de Fórmula-1.
E isso dá a esperança, por mais que se viva de uma forma aparentemente miserável, de que toda vida tem seu significado. Isso é o que Ayrton Senna, no reino dos mortos, tem a nos dizer.

A primeira edição (em holandês) do livro As Borboletas não podem Tamarar e as Tâmaras não podem Borboletear é uma edição de luxo, limitada e numerada, assinada pelo autor.

_________________________________

 

Comunicado á emprensa

UTRECHT, PAÍSES BAIXOS / CURAÇAU, ÍNDIAS OCIDENTAIS – O falecido piloto de Fórmula-1 Ayrton Senna fala sobre sua vida como um monge no Tibete com o jornalista mediúnico Martien Verstraaten. Na 4ª palestra do livro hoje publicado Borboletas não podem Tamarar e Tâmaras não podem Borboletear: Genética de uma carreira interna e externa, Verstraaten leva em conta sua viagem ao Tibete e à vida tibetana de Ayrton Senna.

A data oficial de lançamento do livro é 15 de março de 2011, o dia em que o livro será apresentado ao Vice-Ministro Plenipotenciário do país de Curaçau, em Haia, o Sr. Humphrey (Pim) Senior.

O engenheiro Angel R. Salsbach, político e ex-Vice-Governador de Curaçau, escreve no prefácio do livro de Verstraaten sobre Gerenciamento Transformacional: “A vida e a vida passada do piloto de Fórmula-1 brasileiro Ayrton Senna é um exemplo maravilhoso de parar o coração de como uma carreira pode ser trazida à tona”. >> para continuar, veja: Comunicado á emprensa:

 

O livro (versão holandês e versão português) pode ser encomendado via:
Destinations – Laboratório de Inteligência intuitiva
+34 620177517